Servidor do TJDFT retorna ao Brasil com excelentes resultados pela Europa

O servidor do TJDFT Sérgio Oliva  fez bonito no tour pela França e Bélgica em mais de 20 dias de competições pela Europa. No CPEDI3* de Deauville na França, competição que dá vaga para os Jogos Rio 2016, a delegação brasileira conquistou o 5º lugar. Na Bélgica, em  Waregem,  Sérgio Oliva realizou boas apresentações e conquistou o terceiro lugar  mostrando talento para a sequência de agenda antes dos Jogos Paralímpicos Rio 2016, principalmente por conta que as duas competições reúnem os principais nomes do Adestramento Paraequestre mundial.

O cavaleiro paralímpico Sérgio Oliva mostrou entusiasmo pelos resultados obtidos e destacou o empenho em buscar o aperfeiçoamento na busca por uma das vagas da Rio 2016. Serjão, como é conhecido, também lembrou que as competições na Europa serviram para analisar quem será o companheiro(a) nas próximas competições. “Foi muito proveitoso estar em mais duas competições desse porte. Testamos a Bella Farfalla e o Coco Channel e fiquei com uma sensação muito boa. Na Bélgica, acredito que já estava bem mais adaptado e o resultado veio”, destaca Sérgio Oliva.

Na Bélgica, Serjão conquistou o  terceiro lugar na prova estilo livre e atingiu o percentual de 70,800%. Um excelente resultado em busca da vaga paralímpica. “Estou muito satisfeito. Aos meus apoiadores, patrocinadores e seguidores das redes sociais eu agradeço muito por todo o incentivo”

Nos próximos dias, tanto Sérgio Oliva, quanto o Time Brasil irão retomar os treinos e analisar as competições que ainda serão disputadas para alcançar o índice aos jogos paralímpicos.Sérgio Oliva é patrocinado pelo Sabin e pela Bonasa. Além disso, o cavaleiro tem como apoiadores o PBTI, FINEP e Instituto Mosaico Ambiental.

O que é Adestramento Paraequestre?

Única disciplina do Hipismo do Programa Paraolímpico, o Adestramento Paraequestre é a 8ª disciplina esportiva da Federação Equestre Internacional (FEI), sendo praticada por pessoas portadoras de necessidades especiais(PPNE).

Os benefícios da equitação terapêutica são conhecidos desde 460 a.C. e sua prática adotada nos países europeus ao longo da história. A partir da década de 1970, no entanto, esta forma de reabilitação física e social de pessoas com alguma deficiência ganhou também o status de competição por iniciativa de países como Escandinávia e Grã Bretanha. Nascia o Adestramento Paraequestre.

Vários países do Continente e a América do Norte adotaram a modalidade que em 1984 foi apresentada na Paraolimpíada de Nova York. No entanto, o número insuficiente de participantes acabou tirando o esporte das Paraolimpíadas de 1988, 1992 e 1996. O Adestramento Paraequestre só voltaria a fazer parte da programação nos Jogos de 2000, em Sidney, Austrália.

Hoje, o Adestramento Paraequestre marca presença em 40 países e é praticado por atletas com diferentes tipos de deficiência.


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *